VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente
“O povo de Timor-Leste está reconstruindo com o seu próprio suor, com o seu próprio sangue uma pátria revolucionaria democrática, uma terra livre para gente livre”.

7 Dezembru 1975
Invazaun Militar Indonesia nian ba Timor-Leste
TIMOR-LESTE


Interview with
Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name

 
 
   

terça-feira, 27 de setembro de 2016

UM EPISÓDIO NAS FÉRIAS

  • Artigo oan ne'e hakerek husi Komandante Gregorio Basilio "Lobo-Dara" de Carvalho, publika iha jornal Seara, bainhira sei hanesan estudante Seminarista iha Dare, no transkritu husi Dom Carlos Felipe Ximenes Belo.

UM EPISÓDIO NAS FÉRIAS
         
Numa Quinta Feira fui à Missão, partindo de casa ao raiar do sol, e tupa… que tupa…pelo atalho fora, sozinho…, pensando em conseguir  assistir à Missa da 1ª Sexta-Feira.

Mas a sorte não me calhou, pois a noite surpreendeu-me na fronteira de Ossú a Uato-Lari. Então dirigi-me a casa dum tio meu que lá mora.

Durante a noite pensei em fazer um esforço para no dia seguinte poder participar no Santo Sacrifico.

Apenas o galo cantou, prossegui o caminho. No meio daquela escuridão, ia muito recolhido, temendo o menor ruído, pois naquelas paragens aparecem ladrões constantemente. Depois de tanta corrida pelos montes e vales, com a língua um palmo para fora, não consegui chegar a tempo, pois só cheguei às 8 horas; uma hora mais tarde.

Bem, mas Deus sabe qual foi o meu esforço e quanto dista a minha terra da Missão.

Às duas da tarde, o Pe. Superior convidou-me a dar um passeio com o Pe. Magalhães a Fatu-Maca para ali assistirmos à missa do 1º Sábado. 
Fiquei tão contente que não sabia como agradecer a Deus pelo prémio que me dava. 
Aceitei de bom grado o convite. Depois do Pe. Evaristo tirar-nos uma fotografia pusemo-nos logo em marcha. Íamos numa galopada louca e o Pe. Magalhães exultava de entusiasmo!... 
Tínhamos respirado uma boa camada de ar puro na montanha de Lori-Guto [Lari-Guto]. 
Chegámos a Fatu-Maca às 5 horas e os pobres animais ficaram muito cansados. 
Como não havia erava o Padre deu-lhes um bom bocado de milho. 
Gregório Basílio de Carvalho (3.º ano)
In Seara, , nº 34 (Dili-7-9191966), pp.6-7
Transcrito por Dom Carlos Filipe Ximenes Belo



Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.