VISAO MISAO OBJECTIVO SPORTIMOR FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE

sábado, 11 de abril de 2015

A Propósito da Atribuição da Medalha da Ordem “Presidente Nicolau Lobato” ao Falecido Bispo Dom Alberto Ricardo da silva

Bispo Alberto Ricardo Silva
A Propósito da Atribuição da Medalha da Ordem “Presidente Nicolau Lobato” ao Falecido Bispo Dom Alberto Ricardo da silva Dom Alberto Ricardo faleceu no dia 2 de abril de 2015. E o seu funeral realizou-se no dia 6 do mesmo mês. Nesse mesmo, ouvido o parecer do Governo liderado pelo Dr. Rui Maria de Araújo, o Presidente Taur Matan Ruak atribuiu, a título póstumo a “Medalha da Ordem Nicolau Lobato”. Sobre essa atribuição, alguém, em Portugal, comentou que” seria mais justo atribuir tal honra enquanto o Prelado era vivo…e não depois da morte…”.

Mas, este artigo não quer entrar em polémicas sobre a justeza ou não da atribuição governamental. Diga-se, de passagem, que o segundo Presidente da RDTL, Nicolau Lobato, era colega da mesma turma de Dom Alberto Ricardo, no Seminário de Nossa Senhora de Fátima, em Dare.

O Seminário de Nossa Senhora de Fátima havia sido fundado em 1936, na Missão de Soibada, pelo Reverendo Padre Jaime Garcia Goulart, mais tarde, 1.º Bispo da Diocese de Díli (1941-1967). Por causa das invasões estrangeiras ao território de Timor Português, o seminário foi encerrado em 1942. Terminada a ocupação japonesa, foi reaberto em Soibada pelo Padre Januário Coelho da Silva. Em 1950, o pré-seminário foi transferido para Lecidere (Díli) e em 1951 era, de novo, transferido para Dare; no ano de 1954, a 13 de outubro foi erecto canonicamente como Seminário Menor da Diocese de Díli. Foi seu primeiro reitor o reverendo padre Porfírio Campos. Em 1958, por falta de sacerdotes, Dom Jaime decidiu entregar a direcção do Seminário aos senhores padres da Companhia de Jesus. Em 1975, por causa da invasão das forças armadas indonésias, o complexo do Seminário de Dare sofreu bombardeamentos e as actividades tiveram de ser encerradas. Em 1978, o seminário foi reaberto em Lahane, Díli; e, em 1996, transferiu-se para as novas instalações em Balide.

Entretanto, em 2000 os bispos Basílio do Nascimento e Carlos Filipe X. Belo erigiram o Seminário Maior São Pedro e São Paulo, em Fatumeta, Díli. Para primeiro Reitor foi escolhido o padre Alberto Ricardo da Silva.

Desde 1951 até 1975, o seminário funcionava em regime de internato. Tornou-se um alfobre de futuros líderes timorenses. Por lá, passaram alguns antigos alunos que, depois, tiveram papel importante na história da República timorense. Vejamos os nomes de alguns seminaristas do ano de Nicolau Lobato e Dom Alberto Ricardo:
  1. Nicolau Lobato, segundo Presidente da República democrática de Timor-Leste e Primeiro-Ministro.
  2. José Alexandre Gusmão, Terceiro Presidente da RDTL e Primeiro-Ministro e célebre Comandante da guerrilha; mais conhecido como o nome de “Xanana Gusmão”.
  3. José Moniz morreu em Yogyakarta.
  4. José Henriques vive em Lisboa.
  5. Afonso Redentor, autor do Hino da RDTL.
  6. Moisés Piedade
  7. Alberto Ricardo da Silva; 3.º Bispo residencial de Díli
  8. José Parada
  9. Amaro Jordão, e outros, de cujos nomes não me recordo
Muito antes dessa turma de renome, outros antigos alunos (ex-seminaristas de Dare) viriam a tornar-se célebres: Francisco Xavier do Amaral (Fundador da Fretilin; 1.º Presidente da RDTL), José Osório Soares (Fundador da Apodeti), Tomás Ximenes (KOTA), Francisco Xavier Lopes da Cruz (Fundador da UDT; Vice-governador de Timor Timur e, mais tarde, embaixador-dubes), Domingos Oliveira (Secretário geral da UDT), Mariano Lopes, Moisés Amaral (faleceu em Portugal), Simão Barreto (maestro), Armindo Tilman, Domingos Pinto, Gaspar da Silva, Jacob Xavier, Fernando de Sousa, José Salsinha (DPR de Ermera), Abel dos Santos Fátima (Bupati de Aileu),Tomás Correia, (Bupati de Same), Constantino Soares (Buapti de Ermera), etc.

Outros que se seguiram: Abílio Araújo (membro fundador da Fretilin e ministro em 1975), Manuel Tilman, Domingos de Sousa (embaixador); Paulo Pires, Rogério Lobato (ministro da Defesa, em 1975), Guido Diamantino Soares, Domingos Maria da Dores Soares (Bupati de Díli e autor de dicionário Indonésio Tetun-Português), Cornélio Vianney da Cruz (maestro), Luís Monteiro (DPR de Lospalos), Francisco Ribeiro (Bupati de Liquiçá), Florentino Sarmento (Etadep), Zacarias da Costa (Ministro dos Negócios Estrangeiros), Armindo Maia (Reitor da Universidade Timor Loro Sa’e e Mi istro da Educação), José Luís Guterres (Vice-Primeiro-Ministro e Ministro dos Negócios Estrangeiros), Vicente Guterres, Presidente do Parlamento), Manuel Abrantes (embaixador), Justino Guterres (embaixador), Luís Cardoso (escritor), Luís Costa (escritor), António da Conceição (ministro), Bendito Freitas (ministro), Antonino Araújo (embaixador), Lucas Gonçalves, Antoninho Gonçalves, etc.

Se nesta lista, a minha fraca memória deixou no esquecimento algum nome, peço desculpas aos antigos colegas por não ter podido mencionar os nomes deles. Fá-lo-ei na próxima ocasião…

Só esperamos que os antigos alunos do Seminário continuem a fazer frutificar na sociedade timorense os valores humanos, religiosos e espirituais que aprenderam naquela bendita Alma Mater.

Díli, 11 de Abril de 2015
Dom Carlos Filipe Ximenes Belo

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.