VISAO MISAO OBJECTIVO SPORTIMOR FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

A ORIGEM DA RAÇA HUMANA: UMA QUESTÃO TEOLÓGICA E CIENTÍFICA

Eu vou começar esta reflexão com “O homem foi criado por Deus segundo a Sua imagem e semelhança” (Gen. 1:26-27). O criacionismo da Bíblia não exclui o processo de evolução. A obra da criação durava sete (7) dias. Isto quer dizer tudo foi feito e evoluído dentro daquele período que pudesse significar milhões de anos, porque o tempo não é a questão de Deus (o Criador). Claro que o homem faz parte deste processo de evolução mas de uma maneira especial. Ele foi formado da terra e animado pelo Espírito do Criador tornando-o um ser vivo com poder sobre todas as criaturas. O que está em questão é a afirmação do evolucionismo dizendo que o homem é evoluído de um primata. Se o homem fosse evoluído de um primata então precisava mais provas empíricas porque os argumentos científicos do evolucionismo (darwinismo) só servem como pistas para chegar a hipótese.

Sem dúvida que o homem devia ser feito de um ser inteligente superior dele. A evolução no homem desde início não era igual da dos animais ou outra criatura qualquer. Mesmo que houvesse muitas outras criaturas, incluindo os animais, no seu redor o homem só reconheceu a mulher como a sua parceira porque partilhava com ele a mesma imagem e semelhança de Deus (Gen 2:21-23). Se a raça humana fosse evoluída de um primata, que por sua vez também era parental dos outros animais sobretudo macaco e gorila, então porque é que estes não estão evoluídos mais? Na minha opinião, quando fala da evolução humana, o evolucionismo de Darwin ainda está a nível de uma hipótese. Até agora não há evolução a nível superior naqueles animais, nem macacos nem gorilas. Se a evolução humana fosse de um animal porque é que o homem é muito mais evoluído do que os animais? Uma mutação genética só aconteceu em raça humana? Pelo menos não há provas empíricas que mostram um animal tornasse evoluído como homem ao longo da história que nós conhecemos até hoje.

A influência desta teoria, no ponto de vista ético, é perigosa quando se identifica a evolução humana vinda de uma raça animal e põe em causa a dignidade humana reduzindo-a num primata (macaco/gorila). A Bíblia fala da origem do processo, que é Deus, a fonte de energia criadora que deu origem a tudo. Só o homem que foi feito á imagem e semelhança de Deus (Criador), mais nada é igual a ele. A origem de evolução da raça humana é muito misteriosa. O mistério sobretudo calha na sua inteligência e vontade e sobretudo na sua potência de evoluir em todas as dimensões tais como físico-biológica, cívico-cultural, ético-moral e mental-espiritual. Os animais só se podem alcançar a sua evolução em dimensão físico-biológica com instinto natural que os orientam. Não há nenhuma criatura existente, até ao nosso conhecimento actual, na história que tem esta potência. A raça humana prevalece a todas as raças. A hipótese da evolução humana oriunda de um primata, o parental de todos os animais, parece uma mera imaginação científica que se baseia na razão, lógica e metodologia própria. Mesmo que na fase inicial da evolução no seio da mãe somos idênticos de forma física, no certo período de vida, mas geneticamente diferentes dos animais. O mistério de evolução da raça humana está embrulhado na sua potencialidade como imagem e semelhança d´Aquele que deu origem a tudo que existe, ou a Origem de todo o processo.

A noção de Deus é a linguagem da religião, pode haver outra expressão de Deus na ciência. A ciência tem o seu limite de compreender a verdade do livro Génesis. Porque ela só trabalha dentro da sua metodologia e lógica, mas há algo além dessa que permanece em mistério. Só a fé, sobretudo reflectida no Povo Bíblico, que possa revelar o mistério escondido dos factos e eventos que nos rodeiam e dentro de nós mesmos.

Deus é um ser eterno que causa tudo que está em ordem no cosmos ou universo. O homem não é eterno no ponto de vista da ciência, hoje existe amanhã já não existirá, mas há algo dentro de si que o orienta a eternidade. Neste sentido o homem não é Deus mas está partilhando na vida divina. A imagem e semelhança de Deus no homem residem nesta área de mistério. Por isso, o homem também é mistério para si mesmo. A Bíblia fala da origem de tudo e o sentido de tudo que existe, mesmo que haja a evolução não quer dizer de nada do algo eterno, que é Deus como Causa Principal. Deus só partilhou esta sua imagem e semelhança com o homem e a mulher. Neste sentido, na minha convicção, o homem é evoluído de uma raça mais inteligente mesmo que a sua forma físico-biológica oriunda da Mãe Terra. Assim o homem e a mulher têm capacidade de fazer a obra divina neste mundo sem cessar, construindo coisas maravilhosas e desenvolvendo a natureza com a sua inteligência provinda do Criador. O conhecimento humano está sempre evoluindo ao longo da história, o que não é idêntico com os animais.

A superioridade da raça humana sobre outras raças da criação tem origem de Deus, porque o Espírito d´Este concedeu nela aquele dom que supera toda a criação. Portanto, a evolução da espécie humana não parece idêntica com a dos animais ou outra qualquer criatura inferior ao homem. A raça humana é evoluída da sua própria espécie. O homem e a mulher foram criados por Deus segundo a sua imagem e semelhança. Ambos são única criatura visível que tem esta potencialidade gravada na sua raça. A raça humana prevalece outras raças; como é que possível esta raça foi evoluída de uma raça inferior? Também no ponto de vista lógico esta é dificilmente possível de percebe-la. Mesmo que a evolução começasse com algo simples mas deve existir sempre aquela grande potência e continua a existir dentro da sua espécie. As raças animais podem ser evoluídas de um primata, mas a raça humana, na minha opinião, foi evoluída de uma raça própria. Isto porque a evolução humana é muito elevada e formidável por evoluindo em múltiplas dimensões, além de físico-biológica também cívico-cultural, moral-ética e mental-espiritual. Esta evolução é única na raça humana por causa da sua elevada inteligência oriunda da sua natureza como imagem e semelhança de Deus. Só o homem que obtém a inteligência quer racional quer emocional, menos instinto.

A minha reflexão é uma tese que desafia o evolucionismo que identifica o homem como evoluído de um primata na sua evolução natural. A interpretação da teoria de Darwin não pode ser aplicada totalmente à raça humana. Esta identificação envolve uma questão ética por reduzir a vida humana a um mero animal dando mais espaços para violação da vida humana. Criando assim uma mentalidade de sobreolhar outras pessoas, sobretudo os fetos que ainda não estão bem evoluídos como pessoas humanas na sua dimensão físico-biológica. Sem dúvidas que a raça humana é superior a todas as raças do mundo animal ou doutra criatura qualquer que visivelmente existe. Esta prevalência do ser humano derivada da imagem e semelhança de Deus, a origem de tudo. Por isso, o respeito à vida de um ser humano desde a sua evolução inicial no seio materno é exigente e sem condições. O respeito implica o amor, o que não existe no mundo animal. Este sentimento humano não é idêntico com o instinto natural dos animais. A dignidade humana não se pode comparar com a do macaco ou animal qualquer. As dimensões da evolução do homem revelam que a raça humana não parece ser meramente evoluída de uma raça primata. A evolução desta ampla dimensão afirma o que dizia na Bíblia que o homem foi criado por Deus na sua imagem e semelhança (Gen. 1:26).

A antropologia cristã repõe o homem no seu estado original, mesmo que seja pecador, partido, rompido e rasgado em fragmentos por mal e pelas dificuldades ou pela crise de vida. Jesus Cristo, Filho de Deus e figural central da antropologia cristã, veio resgatar esta raça fragmentada para torná-la mais intacta e elevá-la á sua dignidade original ou o seu estado original. Mesmo que o homem esteja fragmentado, Deus intervém para juntar estes fragmentos e torna-o outra vez intacto. O estado original da raça humana não é igual de um primata, que o evolucionismo afirma como o ponto de partida da nossa evolução humana. A questão deste estado original permanece em mistério. Mesmo que assim, Jesus Cristo, o revelador de toda a verdade, revelou-se de forma como homem perfeito nas suas dimensões normais igual o homem moderno. A revelação de Cristo é ponto de partida para entender o estado original do homem. A sua aparência físico-biológica não pareceu uma primata, como a teoria disse. O que prevalece na pessoa de Jesus Cristo é a perfeição de todas as dimensões humanas com a intensidade nos valores: ético-moral sobretudo o valor espiritual que supera todos os valores.

Neste contexto não há contradição entre a Bíblia e a ciência, mas só existe tentação (perigo) de interpretar o assunto arbitrariamente. Na minha opinião o que está em questão no evolucionismo de Darwin é que a raça humana foi evoluída de um primata, que por sua vez é o parental de todas as raças no mundo animal. Enquanto sobre a evolução em si eu não questiono. Há algo no homem que a ciência não consegue explicar. A revelação vinda da Bíblia sobretudo na pessoa de Jesus Cristo, o revelador da Verdade, mostra-nos o caminho ao conhecimento do processo da evolução. Para os cristãos, a origem da raça humana não é simplesmente a questão científica mas sobretudo teológica. Deus é a origem e o fim de todo o processo das evoluções de todas as espécies. Ninguém pode descobrir o mistério do estado original da raça humana, que é a imagem e semelhança de Deus, não ser revelado por Cristo.

Mesmo na Bíblia o processo da criação dos animais é diferente do homem (Gen 1:20-25). Deus falou e tudo foi feito. O processo da criação no homem é diferente, Deus fez/formou o homem do barro/terra (Gen 1:26-27) e inspirou sobre nele o seu Espírito (2:7-8). Portanto, apesar de ser imagem e semelhança de Deus, o homem também foi feito da terra (Gen 2:7). A raça humana foi evoluída da terra, mesmo que a sua existência veio depois doutras criaturas. Isto não quer dizer que ela foi evoluída de uma raça primata. O homem é o único ser inteligente e espiritual. Se os cristãos afirmassem a hipótese de que a raça humana foi evoluída de um primata, então como é que é possível explicar o estado original do homem que Jesus Cristo veio para restaura-lo? Só o homem que pode distinguir o bem do mal ou seja tem a noção do pecado. Nenhuma espécie tem esta noção igual a espécie humana.

Lousada, 04/01/2012

P. José Câncio da Costa Gomes

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.