VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente

Haksolok 2018
Tinan foun lori moris foun ba Timor-Leste!
TIMOR-LESTE


Interview with
Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name

 
 
   

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

PRESIDENTE DA REPÚBLICA RAMOS-HORTA: PARABENS PORTUGAL

Presidente felicita diplomacia portuguesa por eleição para o Conselho de Segurança da ONU

13 de Outubro de 2010, 18:08

Díli, 13 out (Lusa) O Presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, felicitou hoje a diplomacia portuguesa pela eleição de Portugal, "por esmagadora maioria", para membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

"Fico muito feliz de ter sabido o resultado da eleição na Assembleia Geral da ONU, em que Portugal foi eleito por esmagadora maioria para membro não permanente do Conselho de Segurança", declarou Ramos-Horta à Lusa.

Para o Presidente timorense, "a eleição de Portugal leva para o Conselho de Segurança um melhor equilíbrio entre países grandes, médios e pequenos" e "Timor-Leste, como todos os países menos desenvolvidos sente-se muito bem representado no Conselho de Segurança, por Portugal, além de outros países".

"Felicito a diplomacia portuguesa por esta vitória que Portugal merece, porque é um país muito solidário para com os países pobres, que faz uma enorme contribuição para o sistema das Nações Unidas", disse.

O Presidente de Timor-Leste considera que a presença de Portugal no Conselho de Segurança da ONU "é quase um direito natural", dado o envolvimento português nas missões de paz das Nações Unidas, apesar das suas limitações.

"Não acredito que haja outros países com a dimensão de Portugal, ao nível demográfico e económico, que tenham tantas forças de paz, policiais e militares, com as Nações Unidas, pelo que tem quase um direito natural a estar no Conselho de Segurança", comentou.

MSO.

Lusa/Fim

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.