VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente
NICOLAU LOBATO
“O povo de Timor-Leste está reconstruindo com o seu próprio suor, com o seu próprio sangue uma pátria revolucionaria democrática, uma terra livre para gente livre”.

Espelho da Realidade
A Esperança Nunca Morre
TIMOR-LESTE



Interview with Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name
UKUN HAMUTUK?
Sorumutu "Meja Bo'ot" nakonu ho "bua-malus". Sei lo'ok ba malu hela hodi mama hamutuk.
Fretilin
Fretilin - CNRT
Fretilin - PLP
Fretilin - PD
Fretilin - KHUNTO

 
 
   

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Telefonema Lancinante!

                     
Telefonema Lancinante!
«Um telefonema para Taur Matan Ruak no acampamento de Uai Mori tera sido posivelmente o telefonema mais lancinante da vida de Xanana. Xanana gritou e chorou num telefonema via satélite, implorando a Matan Ruak que não respondesse ao fogo do exército e da milícias indonésios. Matan Ruak gritou do outro lado, dizendo que não poderia conter os guerrilheiros durante muito tempo. Não compreendia como é que Xanana podia pedir-lhes para se manterem calmos quando o povo estava a ser chacinado. Xanana ameaçou demitir-se e Matan Ruak terminou o telefonema dizendo que não augentava mais e que ia abandonar o acampamento para proteger o povo. Porém, Matan Ruak mateve-se no acampamento, a disciplina prevaleceu e triunfou sobre a provocação. Segundo um relato, Xanana telefonou depois a Ramos-Horta e disse-lhe que estava tudo perdido. Ramos-Horta, que ia a caminho do forum da APEC na Nova Zelandia para se encontrar com o presidente Clinton, ligou a Annan em Nova Iorque e recebeu algumas garantias de que estava a ser formada uma força de manutenção de paz. Ramos-Horta ligou a Matan Ruak e disse-lhe que uma força de manutenção de paz chegaria em breve. Matan Ruak cedeu. O exécito e as milícias continuaram o seu trabalho.»

SARA NINER
[ XANANA – Uma Biografia Política. Pag. 237. Título original: XANANA: Leader of the Struggle for Independent Timor-Leste. Tradução de Isabel Veríssimo. Publicações Dom Quixote. 2011. ]

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.