VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente
NICOLAU LOBATO
“O povo de Timor-Leste está reconstruindo com o seu próprio suor, com o seu próprio sangue uma pátria revolucionaria democrática, uma terra livre para gente livre”.

Espelho da Realidade
A Esperança Nunca Morre
TIMOR-LESTE



Interview with Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name
O lema UNIDADE, ACÇÃO, PROGRESSO, representa os valores básicos da política e moral em que assenta a vida da nação e do povo.
Fretilin
Fretilin - CNRT
Fretilin - PLP
Fretilin - PD
Fretilin - KHUNTO

 
 
   

terça-feira, 10 de maio de 2016

Samora Machel condecorado a título póstumo com o Grande Colar da Ordem de Timor-Leste

Samora Machel
Díli, 10 mai (Lusa) - O antigo Presidente moçambicano Samora Machel vai ser condecorado, a título póstumo, no próximo dia 20 de maio, pelo Presidente da República timorense com o Grande-Colar da Ordem de Timor-Leste.

O decreto presidencial que confirma a decisão, a que a Lusa teve acesso, destaca o papel de Samora Machel como "e verdadeiro irmão do povo timorense" e alguém que desde o início "ficou sensibilizado com a causa do povo timorense e manifestou decisivamente o apoio total de Moçambique à luta do povo timorense".

"O Marechal Samora Moisés Machel foi um visionário corajoso e determinado, não havendo barreiras que o impedissem de defender o direito inalienável do povo de Timor-Leste à sua autodeterminação, direito este que uma vez reposto tornaria a libertação uma realidade", refere o decreto.

"Para ele, ‘enquanto Timor-Leste não se tornasse um país independente, a independência de Moçambique não seria completa'", recorda o texto.

O decreto de Taur Matan Ruak destaca ainda "a solidariedade prestada pelo povo moçambicano", sob a direção de Samora Machel, aos povos do Zimbabué, da Namíbia e da África do Sul, o que "resultou na libertação destes três povos irmãos (…), um precioso contributo à Humanidade".

A Ordem de Timor-Leste pretende "demonstrar o reconhecimento de Timor-Leste por aqueles, nacionais e estrangeiros, que, na sua atividade profissional, social ou, mesmo, num ato espontâneo de heroicidade ou altruísmo, tenham contribuído significativamente em benefício de Timor-Leste, dos timorenses ou da Humanidade".

A lista de condecorados este ano inclui vários portugueses e australianos, um jornalista norte-americano, uma cidadã indonésia e um moçambicano.

Com o Colar da "Ordem de Timor-Leste" é condecorado o padre Elígio Locatelli, um missionário salesiano italiano que vive em Timor-Leste há mais de meio século.

Com o grau de Medalha da "Ordem de Timor-Leste" são condecorados, Carlos Gaspar, investigador e ex-conselheiro de Jorge Sampaio, o cantor Luis Represas e a comandante Patrícia Alexandra Costa Gaspar, da Proteção Civil.

Estão também entre os condecorados deste ano o vice-almirante António Silva Ribeiro, diretor-geral da Autoridade Marítima e comandante-geral da Polícia Marítima portuguesa, e Arnaldo José Ribeiro da Cruz, presidente do Serviço Nacional de Bombeiros e Proteção Civil (SNBPC).

Também condecorado, entre os lusófonos, está o secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Murade Isaac Murargy, e dois luso-timorenses, os párocos João Felgueiras e José Alves Martins.

Serão ainda condecorados o padre Leão da Costa, Antero Benedito da Silva, Xisto Martins e Maria Manuela Leong Pereira.

Na lista de condecorados incluem-se a organização Hobart East Timor Committee, o jornalista norte-americano Arnold S. Kohen, o ativista australiano Robert Anthony Hanney e o ex-senador australiano Bob Brown.

São ainda reconhecidos a ex-parlamentar trabalhista australiana Jean McLean, responsável da Australia East Timor Association e a trabalhista Meredith Anne Burgmann, ex-presidente do New South Wales Legislative Council.

A título póstumo, vão ser condecorados os jornalistas Brian Peters, um dos cinco jornalistas mortos em Balibo em outubro de 1975, e Kevin Sherlock, o documentalista apaixonado por Timor-Leste e que reuniu, até à sua morte, um dos maiores arquivos sobre o país, nomeadamente do período de colonização portuguesa.

Com a Insígnia da "Ordem de Timor-Leste" é condecorado Carlos Pereira de Lemos, antigo cônsul honorário de Portugal em Melbourne e muito ativo no apoio à comunidade timorense naquela cidade.

A lista inclui ainda a cidadã indonésia Titi Irawati, ativista e jornalista que integrou o movimento anti-Suharto, na indonésia, lutando depois pela liberdade de imprensa e em defesa de outros presos político, tendo trabalhado desde 1999 com a organização timorense Yayasan HAK, em Díli.

ASP // VM
Lusa/Fim

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.