VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente

Vota ho konsiensia ba imi nia moris no futuru, ba povo no Timor Lorosae

Espelho da Realidade
TIMOR-LESTE



Interview with Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name


Dom Boaventura
Nicolau Lobato
Nino Konis Santana
Francisco Xavier do Amaral
David Alex Daitula
Fernando Lasama
FALINTIL
Massakre Santa Cruz

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Intervensaun Dr. Antonio da Conceição, Kandidatu Prezidente Republika ba Periudu 2017-2022, iha 3º Congresso Nacional Partido Democrático

Intervensaun Dr. Antonio da Conceição, Kandidatu Prezidente Republika ba Periudu 2017-2022, iha 3º Congresso Nacional Partido Democrático

Ilustrissimo Companheiro Presidente e Secretario-Geral do Partido Democratico
Aman Nasaun nian, Ex-Presidente da Republica, Ex. PM, Ex MNE e Premiado Nobel da Paz- Dr. Jose Ramos Horta
Exmos Embaixadores de Portugal, do Japão e da União Europeia
Corpos Diplomaticos aqui presentes
Representante Partidos Politicos
Companheiras e Companheiros Congressistas


Dr. Antonio da Conceição
1. Introdusaun

Hamutuk ho lideransa Partido demokratiku nian hau hakarak estende mos bem-vindo ba Konvidadus sira hotu iha 3º kongresu Partido demokratiku nian.

Hau nia bem-vindu espesial hato ba Aman sira nasaun nian (maske sira balun nebe hau temi laiha ne): Maun Xanana, Maun Ramos Horta, Maun Mari Alkatiri,imi  nia presensa iha kongresu partidu Demokrtaiku nian;

Nudar gerasaun nebe sempre prontu rona,  lao tuir imi nia ain fatin hodi rona no halo tuir imi nia hahalok, hau haksolok tebes, aman sira mai fo sasin hodi hare oin sá ami sira imi nia alin tane as imi nia hanoin ba nasaun no promete-an hodi garante ba imi no ba povu terus nain katak imi nia mehi ami sei hatutan ba oin ho ami nia partisipasaun halo rai ida ne sai independente no sei hatutan hosi gerasaun ba gerasaun.

Hau nia bem-vindu hato mos ba partidus politikus. Prezensa imi hotu nian iha ami nia 3º kongresu reforsa tan ami ba kompromisu nebe nudar partidu politiku tenki halo hodi servi nasaun no servi povu liu husi dalan defende interese nacional no promove moris hakmatek, livre no moris justu ba emar timor oan tomak.

Hau nia saudasaun especial ható ba Kompanheiros Kongresistas hotu nebe oras ne’e partisipa iha 3º Kongresu Partido Demokratiku nian nebe mai hosi Munisipiu 12 no Regiaun Autonoma Oekusi.

Ohin ita marka tan hakat ida ba prosesu demokrasia iha ita nia partidu no mos atu kontribui ba ita nia rain nia estabilidade politika hodi halao desenvolvimentu nasional.

Buka hatudu ita nia maturidade politika no tane a’as lia fuan murak ita nia Saudozu Presidente Partidu Demokratiku Fernando Lasama de Araújo ne’ebe oras ne laiha ona iha ita nia let: 

“Hau nia dignidade la as liu dignidade Nasaun nian” nudar dutrina ida ba ita gerasaun foun atu komunga no halao ita nia prinsipiu “Kaer Metin Ukun Rasik An, Hari Nasaun hosi Baze”.

2. Analize da situasaun

Ita nia Nasaun tama dadaun ona ba tinan sanulu resin lima hosi ita nia restaurasaun da independênsia ne’ebe hahu iha tinan 2002, hanesan nasaun livre no independente.

Iha tereceiru quinqueniu ne’e ita rekoinhese katak, ita fo hakat ida nebe markante tebes iha ita nia prosesu hari’i Nasaun no halao desenvolvimentu Nacional.

Sasukat sira nebe bele hatudu ita nia susesu iha prosesu Hari Nasaun marka ho ita nia orgaos do estadu nebe mak existe hela dadaun ne’e hanesan hatu’ur iha Konstituisaun artigu 67: Presidencia, Parlamento Nacional, Governo no mos sector judiciario hanesan Tribunais, Procuradorias no Defensorias. Ne elementos necessarios ba constituisaun orgaos estadu nian. Orgao sira ne to ohin loron sei halao dadaun sira nia kna’ar no responsabilidade hodi fo prestasaun de servisus ba ita nia povo.

Maske ita hakat ona tinan sanulu resin lima, ita nia nasaun mesmo que ita hetan progresu importante, ita nia nasaun mos sei hasoru dezafius oi-oin iha ita nia política interna no externa.

2.1. Iha Politika interna ita sei hasoru dezafius iha ita nia instituisaun Estado sira. Tuir hau nia reflexão badak desafius nebe hau identifika mak hanesan tuir mai ne’e:
  1. Orgaun Estadu nian ida-idak seidauk bele hatene haketak saida mak interese nacional no saida mak interese grupu. Nune’e dala barak iha aktuasaun sira sei nafatin tau liu interese grupo nian do que interese nasaun nian.
  2. Orgaun Estadu sira mos seidauk buka atu entende interese nacional nudar objektivu komum hodi bele loke komunikasaun no dialogu. Nune’e dezafius nebe orgaun ida hasoru sai fali oportunidade ba orgaun seluk hodi dezafia kapasidade institusional ne nian;
  3. Orgaun Estadu sira sidauk Komunga Valores institucional no padraun identidade ida-idak ne’ebe prevê iha prosedementus legais estabelesementu orgaun nian no mekanismus implementasaun kada orgaun nian ho nuneé bele halao sira nia knar bele sai diak liu no profesional. Identidade ba instituisaun Estadu tenke mai husi ita nian memoria konaba ita nian luta koletiva ne’ebe ita halo hamutuk iha rezistensia hodi sakrifica ita nian interese individual hodi hetan ita nian libertasaun.
  4. Instituisuan Estadu sei frajil, Kultura servisu iha instituisaun Estadu sira sei depende maka’as liu ba individu xave, maibe la reforsa kualidade instituisaun, servisu koletivu no seidauk garante sustentabilidade prestasaun servisus husi institutisaun ida-idak. Ita presiza instituisaun forte ne’ebe la depende ba individu ida ho nune’e mudansas iha estrutura instituisaun no dezenvolvimentu sei garante sustentabilidade ba futuru.
  5. Kualidade prestasaun servisu iha instituisaun Estadu nian, iha ligasaun direta ho kualidade rekursus humanus iha instituisaun ida-idak sei muki’it. Ita tenke garante transparênsia no implementasaun prinsipiu “méritu profesional” iha instituisaun hotu-hotu atu asegura katak ema ne’ebe ho kualidade lolos mak sei hetan kna’ar no responsabilidade iha área ne’ebe nia servisu ba (“The right man on the right place” / “A pessoa certa no local certo”).
  6. Seidauk konsolida konseitu no hanoin kona ba kna’ar instituisaun nian ne’ebe liga ho prinsipiu fundamental husi Estad u Direitu ne’ebe prevê iha Konstituisaun no Lei sira. Ita presiza hatu’ur no konsolida konseitu no hanoin katak servisu tenki respeitu ba Konstituisaun, Lei no Kultura demokrátika. Hau hakarak sublinha importânsia prinsipiu “Universalidade e Igualdade” prevê iha artigu 16. Konstituisaun RDTL: “Todos os cidadãos são iguais perante a Lei, gozam dos mesmos diretos e estão sujeitos aos mesmo deveres”. Ema ida la bele hetan deskriminasaun tanba nia Kor, Rasa, Estadu Sivil, Sexu, Orijen Étnika, Língua, pozisaun sosiál ka situasaun ekonómika, konviksaun política ka ideolójika, relijiaun, instrusaun ka kondisaun fizika ka mentál.
  7. Ita nian “Mákina Estadu” iha estrutura ne’ebe bo’ot tebes no la sustentável atu efesiensia no efetividade. Agora dadauk ita iha 15 Ministérius, 3 Sekretaria Estadu no 22 Ajensias Autónomas. Ho estrutura ne’ebe bo’ot hanesan ne’e, ita hasoru difikuldade atu garante komunikasaun no koordenasaun efisiente, aumenta risku duplikasaun servisu nomos dificulta jestaun sustentável ba rekursus humanus no financeiros Estadu nian, tamba ita sei depende maka’as ba Fundu Petroliferu.

2.2. Iha Politika externa ita sei hasoru dezafius.  Ho kongrsista sira nia autorizasaun hau sei hato hau nia reflexão ne iha lian POrtugues nudar lian oficial ida Timor-Leste nian:

Distintos convidados e Caros participantes do Congresso,
Irei de forma breve, ilustrar alguns dos desafios a nível da nossa política externa.

O artigo 6o. da Constituição da RDTL referente aos objetivos do Estado, estabelece que o Estado de Timor-Leste, entre outros objetivos, deve “promover o estabelecimento de relações de amizade e cooperação entre todos os povos e Estados”.

Especificamente, no artigo 8o., são referidos os princípios que regem as relações internacionais entre Timor-Leste e outros povos: (i) principio da independência nacional; (ii) o princípio dos povos à autodeterminação e independência; (iii) o principio da soberania permanente dos povos sobre as suas riquezas e recursos naturais; (iv) principio da proteção dos direitos humanos; (v) principio do respeito mútuo pela soberania, integridade territorial, igualdade entre os Estados e da não ingerência nos assuntos internos dos Estados.

Permitam-me que aborde dois grupos de países com os quais a Constituição prevê o estabelecimento de laços privilegiados com os países de língua oficial portuguesa e laços especiais de amizade e cooperação com os países vizinhos e os da região.

Os laços privilegiados com os países de língua portuguesa justificam-se pelo facto de possuirmos uma língua comum, que confere uma identidade linguística e uma afinidade cultural que se traduz ainda hoje numa forte amizade entre os povos.

Estes laços baseiam-se ainda em relações históricas, nomeadamente na contribuição e solidariedade que estes países irmãos revelaram durante a luta de Timor-Leste pela sua independência.  Por isso, pelas razões acima mencionadas aderiu, logo em 2002, à CPLP, organização promotora do desenvolvimento integrado dos países de língua portuguesa.

No que se relaciona com os países vizinhos e da região, a Constituição é explicita no estabelecimento de laços especiais de amizade e cooperação.
Gostaria de mencionar, particularmente, os países com quem Timor-Leste possui fronteiras terrestres e marítimas, a Indonésia e a Austrália.

Distintos convidados e Caros participantes do Congresso,

É de salientar a necessidade de se dar continuidade aos mecanismos de cooperação entre os Estados e de se reforçar as relações de amizade entre os nossos povos.

No que respeita à integração regional, realço o processo de adesão à ASEAN, o qual deverá resultar num balanço entre as necessidades de desenvolvimento da nossa Nação e as exigências impostas por esta organização.

Não nos podemos esquecer ainda das nossas relações com países membros das Nações Unidas e do papel que esta organização desempenhou no processo de transição para a nossa efetiva independência.

Timor-Leste é um membro efetivo desta organização e, com base na nossa História e experiência únicas, pode contribuir ativamente para apoiar o papel da organização no mundo, como, por exemplo, já aconteceu no apoio que prestamos à Guiné Bissau e a São Tomé e Príncipe. 

Distintos convidados e Caros participantes do Congresso,

3. Final

Enquanto candidato à Presidência da República, gostaria de partilhar com os congressistas a minha visão para Timor-Leste e a missão que irei desempenhar caso for eleito.

Aspiro que Timor-Leste seja  uma Nação para todos os seus filhos; Que a sua riqueza deve ser beneficiada por todos os seus filhos, quer os do presente, quer os do futuro. Esta visão éum sonho a longo prazo e necessita de trabalhar para o atingir.

Assim no período dos cinco anos do meu mandato a missão que eu tenho de fazer é:

Reforçar o papel das instituições do Estado para, em conjunto, trabalharem em prol do interesse nacional, consolidarem a unidade nacional, defenderem a soberania da Nação, promoverem uma vida justa e tranquila e assegurarem o desenvolvimento nacional que leve ao bem-estar de todos os timorenses.

No atu taka, hau hakarak cita Saudoso Fernando Lasama de Araújo nia lia fuan “Presiza atu halibur ita-nia pensamentu ho patriotizmu, unidade no  fraternidade, hodi  hadi’a ita-nia nasaun”.

Obrigado Barak!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.