VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente
“O povo de Timor-Leste está reconstruindo com o seu próprio suor, com o seu próprio sangue uma pátria revolucionaria democrática, uma terra livre para gente livre”.

7 Dezembru 1975
Invazaun Militar Indonesia nian ba Timor-Leste
TIMOR-LESTE


Interview with
Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name

 
 
   

domingo, 24 de maio de 2015

Príncipe Baltazar de Oe-cusse/Ambeno, Primeiro Embaixador Itinerante de Timor

Bispo D. Ximenes Belo
Vai sair, em França, um livro sobre o Príncipe Baltazar, filho dos Régulos Hornay de Oe-Cusse. Este formidável trabalho é da autoria do Professor Dr. Frédéric Durand, o já conhecido historiador das cosias de Timor-Leste.

Como sabemos, desde os finais do século XVII até à segunda metade do século XVIII, dominavam a cena política de Timor e Solor as dinastias COSTA e HORNAY que se sucediam alternadamente no governo das ilhas de Solor e Timor.

Esse príncipe Baltazar de que fala o professor Durand era filho do Régulo Gaspar da costa (1732-1749). Foi levado por um missionário, frei Inácio de São José, para França a fim de ser ali educado. Mas, infelizmente, o rapaz foi abandonado e entregue a si próprio, vivendo na mendicidade e trabalhando nos portos do sul da França.

Pelos vistos, o príncipe Baltazar, soube desenrascar-se e sobreviver a todas a as dificuldades e ultrapassar todos os infortúnios.

O Professor Frédéric Durand, depois de ter efectuado aturada pesquisa, consegue trazer a lume esta grande figura de timorense que eu considero o primeiro embaixador itinerante de Timor-Leste.

Peço licença para transcrever as palavras do professor Durand, traduzidas para Português pelo Dr. António Semedo.

“Balthazar-Pascal-João Celso, que se declarava «Príncipe das ilhas de Timor e de Solor », é conhecido dos historiadores através duma nota enviada ao rei francês Luís XV. Nessa brochura publicada em Paris em 1768, o jovem de pele escura, com trinta anos nessa altura, contava que tinha ido até à China e ao Québec. Também dizia que tinha sido abandonado em França com treze anos de idade por um padre português que devia acompanhá-lo para aperfeiçoar a sua educação.

Nesta situação, Balthazar pedia a Lui s XV que enviasse barcos para procurar socorros junto do seu pai, o rei de Timor. Luis XV não tinha acreditado e Balthazar tinha sido exilado para Saint-Denis.

Muito poucos elementos eram conhecidos sobre o que lhe aconteceu depois. Os que estudaram esta história pensavam que este possível impostor tinha morrido na miséria durante a década de 1770. Graças a várias memórias manuscritas, a um fragmento de auto-biografia, a várias dezenas de cartas e a recortes de imprensa da época, foi possível reconstituir o seu percurso até à sua morte, mais de vinte anos mais tarde.

Na realidade o Príncipe frequentou muitas personalidades do mundo da política, das letras e das ciências ocultas. Bateu-se contra a Companhia francesa das Índias, escreveu a Voltaire e foi visto como uma das pessoas que favoreceram o fim do reinado de Luís XVI e o advento da Revolução francesa.

A sua história ainda é controversa, porque subsistem muitas ambiguidades e mesmo certas contradições naquilo que ele viveu. Estas questões são estudadas num livro publicado em 2015 nas Editions des Indes Savantes:

- Apoiando-se neste estudo, a presente exposição esforça-se por apresentar a sua vida, que o levou a desempenhar um papel surpreendente na história de França.

Balthazar : un prince deTimor en Chine, en Amérique et en Europe au
XVIIIe siècle. Essai d’histoire contradictoire”.

Neste ano que Timor-Leste vai celebrar os 500 anos da chegada dos portugueses a Timor, é de toda a conveniência ler este livro do Professor Durand.

Porto, 23 de maio de 2015

Dom Carlos Filipe X. Belo

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.