VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente
“O povo de Timor-Leste está reconstruindo com o seu próprio suor, com o seu próprio sangue uma pátria revolucionaria democrática, uma terra livre para gente livre”.

I N T E R F E T
15 Setembro 1999
O Conselho de Segurança da ONU aprova a Resolução n° 1264,
que autoriza a criação de uma força internacional para Timor-Leste (INTERFET)
TIMOR-LESTE



Interview with Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name
Dezenvolvimentu Nasional presija iha Programa nebeé Programátiku
Reasun Oposisaun ba Programa VII gov
Primeiro-ministro timorense não entende críticas a programas..
Oposição exige explicações ao Gov sobre justiça e reforma adm..
Xanana Gusmão quer "ganhar experiência" como oposição..
Governo quer duplicar receitas domésticas com IVA e impostos tabaco...
Masuk Indonesia Tanpa Paspor, 2 Warga Timor Leste Diamankan Polisi
Opozisaun Rejeita, Programa VII Governu, Alkatiri: “Hau Prontu...”
Timor "satisfeito" novo acordo que regula fronteira com Austrália
Comissão confirma acordo entre Timor-Leste e Austrália

 
 
   

domingo, 22 de junho de 2014

Sugestões para o futuro da CPLP, segundo Feliciano Barreiras Duarte

 
Por Diogo Vaz Pinto 


1. Alargar a CPLP a países que aceitem o essencial dos seus objectivos nucleares.

2. Assumir-se como uma organização económica, porque no mundo globalizado a referência económica é indispensável. Aliás, os números revelam potencialidades extraordinárias: 250 milhões de pessoas, 3,6% do PIB mundial, 6% do petróleo e 1% do gás mundial – nos últimos anos a maioria das descobertas do petróleo e gás foram nos países da CPLP e, nas próximas décadas, entre 15% a 20% da produção de energia do mundo será na CPLP.

3. Aprovar, com carácter de urgência, o Estatuto Jurídico do Cidadão Lusófono (ou da CPLP), para permitir uma melhor circulação de pessoas nos países membros da CPLP. Deverá processar-se a consensualização, para reforço não só dos sentimentos identitários da CPLP, mas também do direito da mobilidade nos seus estados-membros, com harmonização das chamadas leis da imigração.

4. Deverá ser criado e concretizado o Erasmus lusófono (ou da CPLP), que permita uma melhor mobilidade dos estudantes dos vários níveis de ensino. Em termos universitários e de investigação, faz todo o sentido que se encontrem plataformas de entendimento que permitam criar uma universidade da CPLP.

5. Que em Portugal se acabe de vez com a quase apropriação indevida da CPLP, a portugalização da CPLP, porque isso só trará dissabores a Portugal, aos portugueses e servirá de pretexto para condicionar o alargamento e o aprofundamento da CPLP, enquanto organização internacional à escala global.

Fonte: http://www.ionline.pt
Sugestões para o futuro da CPLP, segundo Feliciano Barreiras Duarte

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.