VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente
“O povo de Timor-Leste está reconstruindo com o seu próprio suor, com o seu próprio sangue uma pátria revolucionaria democrática, uma terra livre para gente livre”.

7 Dezembru 1975
Invazaun Militar Indonesia nian ba Timor-Leste
TIMOR-LESTE


Interview with
Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name

 
 
   

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Banco Mundial: Timor-Leste é um país de desenvolvimento médio

Luis Constantino - Country manager of the World Bank in Timor-Leste.East Asia & Pacific
Díli, 15 jul (Lusa) - O representante do Banco Mundial em Timor-Leste, Luís Constantino, e o ministro das Obras Públicas timorense, Gastão de Sousa, concordaram hoje iniciar até ao fim do ano a reabilitação da estrada Díli/Ainaro.

"Neste momento estão a preparar-se os contratos para a reabilitação e pensamos que poderá começar no fim deste ano, quando os estudos estiverem terminados", afirmou à agência Lusa o representante do Banco Mundial, Luís Constantino.

O representante do Banco Mundial salientou também que "há muita urgência em fazer avançar" a obra de reabilitação porque aquela é uma das estradas mais "importantes para a economia local e para a economia de Timor-Leste".

A reabilitação dos cerca de 80 quilómetros da estrada entre Díli/Ainaro, a oeste da capital timorense, vai custar 112 milhões dólares e parte daquele montante vai ser obtido através de um empréstimo ao Banco Mundial.

O governo timorense fez empréstimos com o Banco Mundial, o Banco Asiático de Desenvolvimento e com o Japão para reabilitar as principais estradas do país.

Para Luís Constantino, a concessão do empréstimo a Timor-Leste é um "reconhecimento da maturidade e do desenvolvimento económico do país".

"Para nós já não é um país pouco desenvolvido, mas um país de desenvolvimento médio. Timor-Leste está ao nível do México, do Brasil e da Indonésia. A relação passou a ser mais sofisticada, com empréstimos, e os timorenses devem sentir orgulho de ter chegado a este ponto", disse.

Ainda em relação à reabilitação daquele troço, Luís Constantino explicou que o Banco Mundial está também a apoiar o governo a fazer um levantamento dos pontos de interesse cultural ao longo da estrada e que vai fazer um guia turístico.

"É muito importante, porque não basta a estrada para as pessoas apanharem as oportunidades é preciso fazer um pouco mais para que essas oportunidades se realizem e achamos que há potencial para desenvolvimento turístico e para ter diferentes pontos para as pessoas fazerem caminhadas e visitarem ruínas portuguesas e japonesas", disse.

MSE//APN
Lusa/Fim

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.