VISAO MISAO OBJECTIVO SPORTIMOR FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE

quarta-feira, 20 de março de 2013

SUA SANTIDADE FRANCISCO I, UM PAPA SUPRESA!

Dom Carlos Filipe Ximenes Belo
Prémio Nobel da Paz 1996
No passado dia 13 do corrente mês o mundo ficou surpreendido com a eleição do sucessor de Bento XI. Naquela tarde, quando o Cardeal francês Jean-Louis Tauran, anunciava: Habemus Papam, e pronunciava o nome” Franciscum”, os cristãos do mundo inteiro foram apanhados de surpresa: Pela primeira vez na História da Igreja, um Papa havia chegado “dos confins do mundo,” pela primeira vez na história, um filho de santo Inácio de Loila havia subido ao sólio pontifício, e pela primeira vez na história, um papa tenha usado o nome de “Francisco”. Mas não lemos nós no Evangelho que o “Espírito sopra onde quer e para onde quer”?

A eleição do Cardeal Jorge Mário Bergoglio, natural de Argentina, para ser sucessor de São de Pedro indica que a Igreja é de facto universal. E o ministério petrino não está reservado a um continente particular… As primeira palavras do Papa Francisco surpreenderam o mundo: “começamos um caminho de fraternidade, amor e confiança”; “rezemos uns pelos outros para que haja uma grande fraternidade”; “rezai por mim”.

No ano de 2002, estive na Argentina, onde ia receber o doutoramento Honoris Causa pela Universidade de Mar de Plata, uma das mensagens que recebi foi o seguinte: “O cardeal Bergoglio é jesuíta e é um homem muito simples e de grande humildade. Ele não vive no Palácio episcopal, mas num apartamento…” Últimas noticias destes dias relatam-nos que o actual papa, então Arcebispo de Buenos Aires, não usava a batina de cardeal, mas trajava uma batina preta; que visitava com frequência os bairros pobres, hospitais e prisões; que usava os transportes públicos (metro e autocarros) nas suas deslocações; que gota de tango e de futebol. E até é sócio do clube São Lourenço!

Um jesuíta que escolheu o nome Francisco! De forte formação intelectual jesuítica, mas de coração franciscano. O Papa Francisco dá-nos lição de simplicidade, de humildade e de amor pelos pobres.

Se o papado anterior (de Bento XVI) caracterizou-se por um forte traço de magistério de um Papa professor, teólogo, pensador, este papado inicia com atitudes de um Papa pastor, que se caracteriza pela simplicidade, clareza e profundidade de palavras, pela singeleza de atitudes, pela bondade, simplicidade e humildade.

Que Deus Nosso Senhor seja louvado! E que o Papa Francisco nos ajude a cantar, todos os dias, o “Cântico das criaturas” e a rezar a oração de São Francisco” Onde houver ódio, que eu leve o amor….”

Porto, 19 de Março de 2013.

Dom Carlos Filipe Ximenes Belo
Prémio Nobel da Paz 1996

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.