VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Bloku Unidade Popular Associação Popular Monarquia Timorense Kmanek Haburas Unidade Nasional Timor Oan Partido Esperança da Pátria Partido Socialista de Timor Partido Desenvolvimento Popular Congresso Nacional para a Reconstrução de Timor-Leste Partido Republicano União Democrática Timorense Partido Democrata Cristão Partidu Movimento Libertasaun Povu Maubere Partidu Libertasaun Popular Partido Democratico União Nacional Democrática de Resistência Timorense Partido Unidade Desenvolvimento Democrático Partido Timorense Democratico Frenti-Mudança Partido Social Democrata Centro Ação Social Democrata Timorense Partido do Desenvolvimento Nacional Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente
“O povo de Timor-Leste está reconstruindo com o seu próprio suor, com o seu próprio sangue uma pátria revolucionaria democrática, uma terra livre para gente livre”.

7 Dezembru 1975
Invazaun Militar Indonesia nian ba Timor-Leste
TIMOR-LESTE


Interview with
Fernando Lasama de Araujo: On the road to democracy, where the streets have no name

 
 
   

terça-feira, 10 de abril de 2012

Presidenciais 2012

«Comandei Lu Olo, no mato [na Resistência Armada], continuo a comandá-lo, agora», disse Ruak no comício realizado em Iliomar, na passada 3ª feira, 3/04.

O general Taur Matan Ruak fez esta afirmação em resposta a várias provocações vindas da candidatura presidencial de Lu Olo - ataques a caravana de Ruak, em Baucau (3/04), agressões físicas a apoiantes da candidatura de Ruak, em Uatulari (11/03, ainda na 1ª volta), destruição e incêndio de casa e propriedade da D. Luciana Bikasa - membro da Equipa de Vitória, em Viqueque-Vila (25, 26 e 27/03), incêndio a habitação do coordenador da campanha de Ruak em Dilor, Lacluta (31/03), destruição de propaganda eleitoral e também ataques pessoais ao general Ruak, acusando-o de intimidar os votantes por envergar camuflado na foto da campanha eleitoral e mais outras acusações.

É um facto que o candidato presidencial da Fretilin, Francisco Guterres Lu Olo, nunca se destacou nas Falintil nos 24 anos da Resistência Armada. Nunca comandou nenhuma das quatro Regiões Militares (nem a RM 1, nem a 2, nem a 3, nem a 4); nem nunca chegou também à chefia do Estado Maior. Se o general Ruak teve que puxar pelos seus galões, foi porque as constantes provocações vindas da candidatura do seu oponente nesta campanha presidencial estava ultrapassar os limites admissíveis. 

Os antigos guerrilheiros das Falintil têm (e sempre tiveram) um pacto entre si: nunca se atacarem, em nenhuma circunstância, seja política ou outra; e nunca concorrerem entre si para um mesmo cargo. Nas Presidenciais de 2012 alguém quebrou este pacto: não foi de certeza o comandante Taur Matan Ruak.

Publicada por Sebastião 4/4
O Eça (http://sebasgut.blogspot.pt)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.