VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE

 
 
   

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

NATAL

Nos primeiros séculos do Cristianismo, os cristãos celebravam o Dia do Senhor, o Domingo (Dies Domini), e os mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor Jesus (Páscoa). Só no século IV é que começaram a celebrar o Nascimento de Cristo, isto é Dies Natalis (Natal).

Natal vem do Latim “natalis”; e provém do verbo “nascor.. natus sum = nascer. Em Português, em Bahasa Indonésia e Tetun usa-se a palavra Natal.

Não se conhece exactamente a data do Nascimento de Cristo. Antigamente, em Roma, celebrava-se no dia 25 de Dezembro, o dia do sol invencível “Natalis Solis Invictis”.

Por volta do dia 22 de Dezembro, no hemisfério norte, dá-se o solstício de inverno, isto é, o sol atinge a maior distância angular em relação ao plano que passa pela linha do equador. A partir desse período, os dias começam a crescer e a noite começa a tornar-se pequena. Os romanos celebravam então a festa em honra do Sol, vencedor das trevas.

Os cristãos, vivendo no meio dos pagãos, procuraram cristianizar essa festa, celebrando o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Sol da justiça, vencedor do pecado, da morte e das trevas espirituais e morais. Assim no século IV ( a partir de 336) os cristãos celebravam o Natal no dia 25 de Dezembro e a Epifania no dia 6 de Janeiro. Pelo contrário na parte oriental do Império, celebrava-se o Natal no dia 6 de Janeiro.

Os evangelhos de São Mateus e de São Lucas relatam os acontecimentos que envolvem o nascimento de Jesus Cristo.

São Lucas diz que no tempo do Imperador César Augusto, saiu um edito que obrigava as pessoas a recensearem-se nas suas terras de origem. José, pai adoptivo de Jesus, era de Belém (na Judeia), por isso, foi recensear-se ali, juntamente com Maria, que estava grávida. Foi em Belém, que a Virgem Maria, deu à luz o Menino Jesus. São Lucas refere também que nas redondezas estavam os pastores que guardavam os seus rebanhos e dormiam ao relento. Ora, o dia 25 de Dezembro é inverno, tempo de chuvas e frio. Por isso, os pastores não poderiam estar ao relento. Só poderiam estar assim numa época de bom tempo e de temperaturas amenas. Por causa disso, alguns historiadores pensam que o Nascimento de Jesus ter-se-ia dado na primavera. Permanece, portanto, ainda um enigma o dia verdadeiro do nascimento do Salvador.

São Mateus, fala da chegada do oriente dos Magos para adorarem o Menino, no tempo do rei Herodes. Herodes mandou matar os inocentes, pensando que o Menino Jesus iria ocupar o trono. Herodes morreu no ano IV depois de Cristo. Portanto Cristo teria nascido no ano VI, do calendário actual.

Alguns símbolos do Natal: Presépio, Árvore de natal, Pai Natal, luzes, etc. Falamos só do Presépio, palavra que vem do latim prasepio. Os artistas cristãos representavam o Nascimento de Jesus em pinturas e esculturas e quadros. Mas, no ano de 1223, em Greccio, Itália, São Francisco de Assis, quis celebrar a noite de Natal com uma representação verdadeira. Ele montou um presépio de palha, com uma imagem do Menino Jesus, da Virgem Maria de São José, juntamente com um boi e um jumento e vários animais. Nesse cenário foi celebrada a Missa de natal. O sucesso dessa representação do presépio foi tanta que rapidamente se estendeu por toda a Itália.

Em Timor-Leste, e principalmente na Cidade de Dili, os jovens constroem o presépio nos seus bairros. É um sinal positivo de fé e da vivência dos valores religiosos. Que o Menino Jesus abençoe todas as Crianças e Jovens de Timor-Leste, e os ajude a crescerem na sabedoria, santidade e sáude.

Neste Natal de 2010, tomo a liberdade de apresentar a todos os Leitorres do Jornal Tempo, os meus votos de Boas Festas do Santo Natal.

Porto, 21 de Dezembro de 2010.

Dom Carlos Filipe Ximenes Belo

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.