VISAO MISAO OBJECTIVO SPORTIMOR FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
Congresso  Nacional de Recontrucão de Timor-Leste Frente Revolucionaria de Timor-Leste Independente Partido Democratico Frenti-Mudança FM Partido Socialista Timor Partido do Desenvolvimento Nacional Associação Social-Democrata Timorense União Nacional Democrática de Resistência Timorense União Democrática Timorense Partidu Republikanu Partido Libertasaun Povu 

Aileba Partido Democrática Republica de 

Timor Associação Popular Monarquia Timorense Partido Unidade Nacional Partido Milénio Democrático Klibur Oan Timor Asuwain Aliança Democrática Partido Timorense Democrático Partidu Democrática Liberal Partido do 

Desenvolvimento Popular Partido Democrata Cristão
Ocupação humana na ilha timorense de Ataúro tem pelo menos 18 mil anos
#htmlcaption1 Go UP! Pure Javascript. No jQuery. No 

flash. #htmlcaption2
TIMOR-LESTE



Entrevista
a Nicolau dos Reis Lobato


TIMOR-LESTE
Timor-Leste e "III Guerra Mundial" Trump, o senhor da guerra Tamba sa mak rai ki'ik-oan ida iha kedas partidu tolu-nulu? Saving Asia’s mothers Julgamento de ex- ministras timorenses com "vícios e falhas graves" do tribunal

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

"Requiem para o navegador solitário" - Luis Cardoso "Takas"

SINOPSE

Autor: Luis Cardoso
São duas as personagens que figuram com destaque no romance Requiem para o navegador solitário, de Luís Cardoso: o Timor-Leste, pequena ilha do Pacífico repleta de conflitos étnicos e políticos, e Catarina, uma jovem inocente que traz na mala, para além da roupa, um exemplar de A la Porsuite du Soleil, relato de viagem de circum-navegação do solitário Alain Gerbault. Contudo, na verdade, ela traz algo a mais: o sonho de viver uma grande história de amor.

De um lado, o Timor-Leste, dominado pelos portugueses em 1512, e que três dias após sua independência, em 1975, foi invadido pela Indonésia; de outro, Catarina, que se dedica bravamente à recuperação da fazenda Sacromonte enquanto aguarda, na varanda atapetada de buganvílias de sua casa, a chegada do navegador solitário. De um lado, um território que serviu “para deportados, um depósito de esquecidos, uma ilha-prisão cercada pelo mar infestado de tubarões e de piratas em busca de pérolas, pedras preciosas e de gatas, donde ninguém podia fugir”; de outro, a perdição de Catarina, que vai percebendo que “os que chegam do mar têm sempre quem espere por eles”, enquanto ela navega por terra, sem qualquer possibilidade de companhia, a não ser os gatos.

Além de esperar, Catarina tenta provar a si própria, com a recuperação da fazenda Sacromonte, que é capaz de contrariar os azares de sua vida ou os seus desacertos. Uma personagem que cresce à medida que seus dramas aumentam.

Com Requiem para o navegador solitário, o leitor tem a oportunidade de conhecer um pouco da história do Timor-Leste, país ligado ao Brasil em função da língua portuguesa, e também tem acesso à belíssima ficção de Luís Cardoso, o mais importante escritor timorense.

DADOS DO PRODUTO

título: REQUIEM PARA O NAVEGADOR SOLITARIO
isbn: 9788560160495
idioma: Português
encadernação: Brochura
formato: 13 x 18
páginas: 304
coleção: PONTA DE LANÇA
ano de edição: 2010
edição: 1ª

autor: Luis Cardoso

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.