VISAO MISAO OBJECTIVO SPORTIMOR FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE

segunda-feira, 25 de março de 2013

Porquê o Cardeal Jorge Mário Bergoglio escolheu o nome Francisco?

Na Igreja Católica, existem santos que se chamaram Francisco: São Francisco de Assis; São Francisco de Sales; São Francisco Xavier, São Francisco de Borja, o beato Francisco, o pastorinho de Fátima. Porquê Francisco? Ouçamos o próprio Papa que contou a história da escolha do nome no encontro com os representantes da comunicação social, no dia 16 março, no Vaticano:

“(…) Deixai que vos conte como se passaram as coisas. Na eleição, tinha o meu lado o Cardeal Cláudio Humes, o arcebispo emérito de São Paulo (Brasil) e também prefeito emérito da Congregação do Clero: um grande amigo, um grande amigo! Quando o caso começava a tornar-se um pouco “perigoso”, ele animava-me. E quando os votos atingiram dois terços, surgiu o habitual aplauso, porque foi eleito Papa. Ele abraçou-me, beijou-me e disse-me: “Não te esqueças dos pobres!”. E aquela palavra gravou-me na cabeça: os pobres, os pobres. Logo depois, associando com os pobres, pensei em Francisco de Assis, enquanto continuava o escrutínio até contar todos os votos. E assim surgiu o nome no meu coração: Francisco de Assis. Para mim, é o homem da pobreza, o homem da paz, o homem que ama e preserva a criação; nesse tempo, também a nossa relação com a criação não é muito boa, pois não? [Francisco] é o homem que nos dá este espírito de paz, o homem pobre… Ah, como eu queria uma Igreja pobre e para os pobres. Depois não faltaram algumas brincadeiras… ”Nas tu deverias chamar-te Adriano, porque Adriano VI foi o reformador, e é preciso reformar…”Outro disse-me: “Não! O teu nome deveria ser Clemente”. Mas porquês?”. “Clemente XV! Assim vingavas-te de Clemente XIV que suprimiu a Companhia de Jesus!”. São brincadeiras… Amo-vos imensamente! Agradeço-vos por tudo o que fizestes…”.

Estas foram as palavras do papa Francisco durante a audiência com os jornalistas.

NB/Fonte: Correio do Vouga, quarta-feira, 20 de Março de 2013, p.4.

Porto, 25 de Março de 2012.
Dom Carlos Filipe Ximenes Belo

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.