VISAO MISAO OBJECTIVO HAKSESUK BOLA FH KKN HOME FH LPV ARTIGOS FH MUZIKA LIA MENON FH RESPONDE
 

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Em defesa da relação Portugal / Timor-Leste

Xanana Gusmão

Em jeito de introdução

Por considerar que vale ‘a pena’ recuar nove anos e assentar no final do ano de 1999, inicio do ano 2000. Para referir quem foram os líderes e elites políticas timorenses que defendiam uma política que visasse o estreitar de laços históricos, de amizade e fraternidade com Portugal. E … porque há que relembrar quem defendeu os interesses de Portugal junto dos Organismos Internacionais, designadamente o Banco Mundial e Fundo Monetária Internacional.

A política Monetária:

A introdução do Escudo como moeda transitório em Timor-Leste.
Xanana Gusmão, líder histórico da resistência, defendeu com convicção a introdução do escudo como moeda transitório de Timor-Leste. Na sua perspectiva, seria benéfico para Timor-Leste que passaria a responder a uma lacuna - ausência de moeda que pudesse circular - sem definir uma politica de mercado definitiva.

[Se a memoria não me falha, o jornalista Hernâni Carvalho, como enviado especial da RTP: reportagem em directo ao Jornal da Tarde e Telejornal, fez referencia a Xanana Gusmão por ter defendido o interesse de Portugal frente o Banco Mundial e ao Fundo Monetária Internacional. Xanana Gusmão defendeu veementemente a introdução de escudo como moeda transitório em Timor-Leste.]

A política da língua:

A questão da reintrodução da Língua Portuguesa Timor-Leste, não foi pacífica. Outro factor desestabilizador: o português foi adoptado como uma das línguas oficiais.
Eis que desde os tempos da resistência pacífica contra a ocupação Indonésia, Xanana Gusmão foi defensor convicto do valor da Língua Portuguesa como pilar cultural da identidade do povo de Timor-Leste.

No período transitório, desde fins de 1999 até Maio de 2002, houve um forte resistência contra a reintrodução da língua portuguesa em Timor-Leste. Alguns movimentos de resistência eram oriundos de uma camada mais jovem acompanhados por intelectuais que teriam completado a sua formação cultural e académica nas Universidades Indonésias e Anglo-saxónicas.
Com a sua autoridade moral e política, Xanana Gusmão, líder da resistência, respeitado pelo seu carisma, conseguiu apaziguar a resistência aposta pelos jovens e intelectuais tal como afirmar a Língua Portuguesa como Língua Oficial, tal como consta Constituição da República Democrática de Timor-Leste.

Entre Portugal e Timor-Leste, Xanana Gusmão. Sempre.

Lisboa, 25 de Novembro de 2008

António Ramos Naikoli

Editor Politico do Fórum Haksesuk

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.